segunda-feira, 11 de maio de 2015

AMM QUER ACESSOS ASFÁLTICOS E PONTE INTERNACIONAL.

AMM entrega diagnóstico de obras na região ao secretário estadual de Transportes
09 de Maio de 2015
Rodovias, acessos asfálticos, ponte internacional, ferrovia Norte-Sul estão entre as lutas da Associação para fortalecer a infraestrutura missioneira

É desnecessário conceituar a ligação entre infraestrutura e desenvolvimento estratégico. E na região missioneira existe um consenso entre a Associação dos Municípios das Missões (AMM), Corede Missões, instituições e outras lideranças: a demanda prioritária é a infraestrutura logística. "Trabalhamos de forma agregada para alavancar o crescimento dos 26 municípios", ressaltou o dirigente da AMM, Angelo Fabiam Duarte Thomas, durante audiência pública que debateu o tema, promovida pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa, realizada na Fenamilho, em Santo Ângelo, na manhã do dia 8 de maio.

Thomas agradeceu ao deputado Eduardo Loureiro, que preside a Comissão, por mais uma iniciativa que viabiliza o contato direto com autoridades estaduais. "É uma oportunidade para que os prefeitos, secretários municipais, vereadores e outras lideranças possam reiterar a necessidade de cada uma das obras defendidas pela AMM, ao secretário de Transportes e Mobilidade, Pedro Westphalen, que tão bem conhece a região das Missões", destacou Fabiam ao acrescentar que também outros parlamentares têm o mesmo compromisso com a comunidade missioneira, em ações que possibilitem o crescimento da região.

Acessos asfálticos
O presidente da AMM apresentou um relato sobre as condições da infraestrutura logística missioneira, conforme consta no documento entregue ao secretário Westphalen na audiência pública. Quanto a pavimentação na entrada dos cinco municípios da região, Fabiam chamou a atenção para as empresas que interromperam os serviços em razão da falta de pagamento das respectivas faturas. "Entramos em contato com cada uma das empresas responsáveis pela execução das obras. O que nos foi dito é que, no momento em que o Estado efetuar o pagamento do que já foi feito, os serviços serão retomados, sem a necessidade de novos contratos ou licitações", revelou Thomas.

ROLADOR - Situação é gravíssima. Serviços estão parados desde o dia 24 de dezembro do ano passado. Há uma grande apreensão em torno desta obra, por ser fundamental ao desenvolvimento regional;

UBIRETAMA - Situação é precária porque a obra começou e foi interrompida. A empresa que abandonou os serviços, há cerca de nove meses, deixou a cidade em condições piores do que estavam antes do início das obras;

PIRAPÓ e GARRUCHOS - É a questão mais preocupante, pois sequer há uma previsão para autorização imediata das obras;

EUGÊNIO DE CASTRO - Único acesso com pavimentação em andamento.
Arno Werle, prefeito de Pirapó, falou sobre a relevância de iniciativas como as audiências públicas promovidas pela Comissão de Assuntos Municipais. Espaço importante para que hajam avanços na luta pela infraestrutura logística. "Assim como Pirapó, outros inúmeros município gaúchos estão sem acesso asfáltico. Para melhorarmos cada vez mais a qualidade de vida dos nossos produtores e das nossas comunidades, precisamos urgentemente de pavimentação nas entradas de nossas cidades", reforçou Werle.

A pavimentação da VRS 867 também foi lembrada pelo dirigente da Associação, por se tratar de importante ligação inter-regional da região das Missões com a Grande Santa Rosa. Segundo Thomas, do trecho de 18 quilômetros foi feito aproximadamente 25% da obra. A empresa emitiu a fatura, não recebeu e paralisou os serviços.

Rodovias e trevos
Fabiam Thomas, que é prefeito de Giruá, reconheceu o empenho do Estado em obras que estão sendo executadas na região. Entre elas, a ERS 344 que já está proporcionando mais segurança aos caminhões, universitários e todos que ali transitam diariamente. "Esta atitude merece elogios por pate dos municípios e da região ao governo estadual que, tudo indica, será concluída. Assim como a estrada que leva à cidade de São Nicolau, com os serviços também em execução", observou.

Sobre o recapeamento da 344, o vice-prefeito de Entre-Ijuís, Brasil Antônio Sartori, manifestou a necessidade de continuidade das obras até o trevo da BR 285. "Temos um acostamento precário que oferece grandes riscos à população. Mas, acredito que isso está bem encaminhado, com previsão de acontecer ainda este ano", disse.

Thomas salientou a recuperação das rodovias estaduais 165, 536, 168 que são de fundamental importância para a região missioneira. Ele evidenciou a BR 392, que também pode ter o apoio do Estado, considerando a ligação de Santo Ângelo a Santa Maria, pela aproximação da região ao Centro do Estado. De igual forma, a transformação dos trevos em rotas.

Prefeito de Vitória das Missões, César Coletto pediu especial atenção à BR 285, que passa por vários municípios missioneiros. "Neste trecho temos trevos que oferecem grande risco à população e todos que circulam por esta BR. Entre eles, o trevo de acesso à Vitória das Missões, cuja obra foi iniciada e está paralisada. Por isso conto contamos a ajuda da Comissão de Assuntos Municipais e do Estado", pediu Coletto.
Aeroporto
O presidente da Associação dos Municípios das Missões, o prefeito anfitrião Valdir Andres, o presidente da Comissão de Assuntos Especiais e outras lideranças presentes no encontro, enfatizaram a urgência da retomada das obras no aeroporto regional de Santo Ângelo. Eduardo Loureiro fez a seguinte observação: "precisamos, além das pistas revitalizadas e um aeroporto em ótimas condições, viabilidade econômica dos custos das passagens. Em breve teremos uma audiência pública em Santo Ângelo para debater o tema da aviação civil", avisou.

Ponte internacional
A construção da ponte internacional em Porto Xavier foi eleita em nível estadual e nacional, como uma das maiores prioridades do Rio Grande do Sul para o desenvolvimento gaúcho, por se tratar da interligação do Rio Grande do Sul e Brasil, aos países do Mercosul. "Este, seguramente, é o desejo mais antigo dos prefeitos de todos os municípios missioneiros. A AMM roga pelo apoio incondicional ao projeto de instalação da ponte em Porto Xavier", clamou Fabiam Thomas.

Secretário municipal de Saúde em Porto Xavier, Iury Zabolotsk manifestou a angústia pela falta de informações sobre o resultado dos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), que irão apontar o melhor local para instalação do empreendimento binacional entre Brasil e Argentina. "Não sabemos mais o que dizer às nossas comunidades. Constantemente buscamos notícias com o DNIT em Brasília, com  deputados federais e outros membros da bancada gaúcha, quanto a divulgação do resultado dos estudos, mas nada conseguimos. O que pedimos é uma resposta ", lamentou Iury. Sobre a questão, na audiência pública ficou acertado que será marcada uma agenda com autoridades federais.

Ferrovia Norte-Sul
Representando a comitiva da AMM que trabalha pela inclusão de um traçado missioneiro nos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental da ferrovia Norte-Sul, a vice-prefeita de Santo Ângelo, Nara Damião fez uma breve explanação de todas as ações da Associação dos Municípios das Missões em defesa deste pleito. Além de Nara Damião, fazem parte da comitiva o vice-prefeito de São Borja e proponente da iniciativa, Jefferson Homrich, prefeito de Giruá, Fabiam Thomas, prefeito de Cerro Largo, René Nedel e prefeito de São Luiz Gonzaga, Junaro Figueiredo.
Audiência pública na sede da AMM, que reuniu mais de 200 pessoas, com a presença da Valec Engenharia; elaboração da Carta Missioneira explanando a importância econômica dos 26 municípios; reuniões com prefeitos e representantes das associações regionais de Santa Rosa, Cruz Alta, Ijuí, Santa Maria, incluindo divulgação nas rádios; reunião em Chapecó/SC, com o presidente da Frente Parlamentar Nacional das Ferrovias, deputado federal Pedro Uczai; participação de audiências em Brasília com o Dnit e Ministério dos Transportes, integram o cronograma de ações da Associação, que iniciou em setembro de 2013.
"Defendemos este traçado porque a ferrovia é indutora do desenvolvimento, trará o fortalecimento da economia local e regional, avanços do turismo missioneiro, além de uma nova vida aos ramais ferroviários da região das Missões", enfatizou Nara Damião. Para dar seguimento ao assunto, serão marcadas audiências na Capital federal. Para este fim, a AMM também solicitou a intervenção do Estado.

Começo, meio e fim
Secretário estadual de Transportes e Mobilidade, Pedro Westphalen ressaltou a mobilização dos prefeitos, vereadores, entidades e demais lideranças missioneiras para que se construa o caminho do progresso da região. No que diz respeito aos serviços de infraestrutura na região  no Estado, ele foi categórico: "só vamos anunciar as obras que tiverem datas definidas para serem executadas, e quando tivermos orçamento para que elas tenham começo, meio e fim".

Fabiam Thomas fez questão de dizer, em nome de todos os prefeitos missioneiros, que "a luta da AMM é pela continuidade de todas as obras iniciadas na região e por aquelas que ainda não começaram".
Proponente da audiência pública, o deputado Eduardo Loureiro coordenou os trabalhos e reiterou a missão da Comissão de Assuntos Municipais, na atuação em defesa de temas de interesse dos municípios e das comunidades. Participaram da reunião prefeitos, secretários municipais, vereadores, os deputados estaduais Juliano Roso, Tarcísio Zimmermann e Zilá Breitenbach, o presidente do Corede Missões, Cláudio Reis, entre outros.

www.site: AMM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VIVA O RIO GRANDE DO SUL !

20 DE SETEMBRO ! VIVA O  RIO GRANDE DO SUL !