quarta-feira, 9 de setembro de 2015

AMM PREOCUPADA COM O SETOR LEITEIRO.

Evento na AMM vai propor alternativas para fortalecer o setor leiteiro da agricultura familiar na região
08 de Setembro de 2015
Mais de mil famílias missioneiras foram excluídas deste processo produtivo e precisam de ajuda por terem nesta atividade a única fonte de renda
Nos 26 municípios da Associação dos Municípios das Missões (AMM) são produzidos mensalmente em torno de 18 milhões litros de leite, por mais de 10 mil agricultores familiares. Conforme levantamento da Emater, isso significa aproximadamente 16,5 milhões de reais, que giram por mês na região. Porém, desde dezembro de 2014, mais de mil famílias missioneiras foram excluídas desta atividade por produzirem menos de 100 litros dia. Além de gerar um grande impacto social e econômico na região e no Estado, esta situação é inda mais grave porque estes agricultores dependem exclusivamente na produção do leite para sua sobrevivência.
Diante desta difícil realidade que atravessa o setor, especialmente na região missioneira, a Emater/RS-Ascar-Santa Rosa, AMM, APL Missões (Arranjo Produtivo Local), e Sindicais Regionais, promovem evento na próxima sexta-feira (11/9), a partir das 9 horas da manhã, na sede da Associação, em Cerro Largo. A iniciativa tem por finalidade não apenas debater o futuro da bacia leiteira, mas viabilizar ações de auxílio às famílias missioneiras que foram excluídas e não estão produzindo nada. Segundo dados do APL Missões, tanto na questão da agroindústria como de alimentos de mesa, há um déficit diário na região das Missões de mais de 2 milhões e meio de reais.
Esforço dos municípios
Presidente da AMM e prefeito de Giruá, Angelo Fabiam Duarte Thomas reiterou o esforço das prefeituras em manter convênios, inclusive com a Emater, em razão da crise econômica. Ele salientou que anualmente os municípios destinam verbas significativas para garantir a continuidade dos trabalhos dos técnicos extensionistas, direcionados aos agricultores. O município de Giruá, por exemplo, paga mais de 100 mil reais a cada ano para seguimento destes serviços. Municípios maiores, como Santo Ângelo (cerca de 180 mil reais), investem mais. Já os de menor população, como Sete de Setembro, que  disponibliza cerca de 60 mil reais/ano, e Dezesseis de Novembro, cerca de 70 mil reais a cada ano, comprometem boa parte de sua capacidade financeira com a Emater. Em São Paulo das Missões, os gastos giram em torno de 90 mil reais.
Thomas fez questão de evidenciar que estes recursos são muito bem empregados, pois existe uma grande confiança na atuação da Emater. Por este motivo, muitas prefeituras ainda não interromperam os repasses. “É imprescindível que entidades e municípios estejam cada vez mais próximos, para auxiliar o desenvolvimento comunitário sob o viés agrícola, garantindo um bom retorno financeiro para os investimentos. É com o apoio das prefeituras que as políticas públicas da Emater chegam à casa dos produtores rurais", lembrou o dirigente da Associação dos Municípios das Missões.
Prefeitos e vices, secretários municipais de Agricultura, imprensa, produtores rurais, representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), entre outras forças produtivas da região, são esperados no encontro, com encerramento previsto para às 12 horas. "Será um momento importante. Todas as entidades envolvidas estarão reunidas, na busca coletiva de soluções às atuais problemáticas da cadeia leiteira", ressaltou Fabiam Thomas.

Por Karin Schmidt
Fonte: Assessoria de imprensa -AMM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ORGANIZAÇÃO DA FEIRA INTERNACIONAL MISSIONEIRA.

Organização da Feira Internacional Missioneira, marcou participação da AMM na reunião dos 30 Povos Jesuítico-Guarani 15 de Agosto de 2017...