sábado, 19 de dezembro de 2015

UFFS VIABILIZA PRODUÇÃO DE DOCUMENTÁRIO SOBRE ARTESANATO GUARANI;

Campus Cerro Largo: programa viabiliza produção de documentário sobre artesanato guarani


 
documentrio_Mby_guarani
Com produção iniciada em 2014, foi lançado, neste ano, o documentário Mbyá Rembiapó Nhemombe´u (Arte Mbyá-Guarani e suas Histórias) realizado por meio do Programa de Extensão Universitária, do Ministério da Educação (PROEXT/MEC/SESu/2014) e coordenado pela professora da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Cerro Largo, Bedati Finokiet.
O documentário mostra e divulga a arte e as histórias dos Mbyá-Guaranis da comunidade Tekoá Koenju, manifestadas por meio do artesanato. Aborda o processo de fabricação (desde o buscar a matéria-prima na mata, moldar e preparar as peças), até o momento de se deslocarem para as Ruínas de São Miguel – a 30 km da comunidade - onde vendem os objetos.
Segundo a professora Bedati, o documentário teve o objetivo de “dar visibilidade para esses saberes e fazeres dos Guarani, considerando-se que essa é a base da sua fonte de renda, além de mostrar o cotidiano da/na aldeia, onde a produção do artesanato não está separada da educação das crianças, da transmissão dos conhecimentos tradicionais e da sua cosmogonia e espiritualidade”, explica.
Todo o processo foi dirigido pelo cineasta indígena Ariel Ortega (Kuaray Poty), as imagens captadas pela indígena Patrícia Ferreira (Para Yxapy) e também por Ariel e o roteiro foi escrito por Ralf Ortega (Vera Poty), Ariel Ortega e pela professora Bedati. A coordenadora do projeto destaca que desde a direção até a edição do vídeo foram realizadas por cineastas indígenas da própria comunidade Tekoá Koenju, integrantes do “Coletivo de Cineastas Indígenas” da ONG Vídeo nas Aldeias. “São cineastas reconhecidos internacionalmente pelos trabalhos que já realizaram”, diz.
O material foi lançado em agosto deste ano, durante a programação da XXIII Semana Cultural de Santo Ângelo, momento em que foi realizada uma roda de conversa. Bedati informa que o material já foi exibido durante as Jornadas Antropológicas, promovida pela UFSC, em Florianópolis; em Posadas (Argentina), durante reunião do Programa Escolas Interculturais de Fronteira; durante o XXVIII Simpósio Nacional de História, também na UFSC, em Florianópolis; em Montevidéu, durante a Mostra Audiovisual da XI Reunião de Antropologia do Mercosul, etc. O documentário já foi distribuído para universidades de Portugal, da Polônia, do Paraguai, do Uruguai, da Argentina e, no Brasil, para a UFPel, UFGD, UFPE, URI, Unimpampa, UFBA, UFSC, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, e outras instituições.
“A intenção é realizar a exibição em mais universidades, escolas e espaços ligados à educação e cultura, durante o ano que vem, bem como distribuir os DVDs para esses lugares, para que mais e mais pessoas tenham acesso ao material e possam conhecer um pouco da cultura do Povo Mbyá-Guarani. Esse é um material que servirá como subsídio para que os professores possam ensinar sobre a Cultura e a História dos Povos Indígenas, conforme preconiza a Lei 11645/2008. Outro objetivo é inscrever o documentário em concursos de curtas e levá-lo para outras universidades do exterior”, informou Bedati.
Uma cópia do DVD será disponibilizada na Biblioteca de todos os campi da UFFS. A professora também informa que será disponibilizada uma cópia também no Youtube, facilitando o acesso ao maior número de interessados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AMM SEMPRE PRESENTE .

AMM ESTARÁ PRESENTE NO 2º ENCONTRO INTERNACIONAL DE GOVERNOS LOCAIS E REGIONAIS DOS POVOS JESUÍTICOS 23 de Novembro de 2017 Geren...