sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

REGIÃO DAS MISSÕES VAI SEDIAR EVENTO INTERNACIONAL.

Região das Missões vai sediar evento internacional na próxima semana
02 de Dezembro de 2016
Seminário Internacional sobre Gestão de Paisagens, Parques Históricos e Culturais será realziado entre os dias de 5 a 9 de dezembro

Dono de uma paisagem cultural de altos valores patrimoniais e ambientais, o território das Missões Jesuíticas dos Guarani, no Brasil, foi escolhido para sediar o primeiro Seminário Internacional de Boas Práticas em Gestão de Paisagens, Parques Históricos e Culturais, entre os dias 5 e 9 de dezembro, na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) - Campus Santo Ângelo.

O evento reunirá gestores de sítios reconhecidos mundialmente para aprofundar as discussões e o conhecimento sobre boas práticas na gestão territorial de paisagens, parques históricos e culturais, contará na abertura com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa.

APOIO DA AMM/FUNMISSÕES
Promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com o Instituto Andaluz do Patrimônio Histórico (IAPH), Universidade Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), com o apoio da Associação dos Municípios das Missões (AMM) e Fundação dos Municípios das Missões (Funmissões), o seminário tem vagas limitadas e busca debater, apresentar e possibilitar a troca de experiências de casos de boas práticas na gestão do Patrimônio Cultural, e nas políticas públicas relacionadas ao tratamento da paisagem cultural, de parques históricos e culturais que, dentro de uma perspectiva territorial, contribuam para a consolidação do Parque Histórico Nacional das Missões.

PÚBLICO ALVO
O seminário tem como público alvo gestores de Parques Históricos e Culturais e sítios protegidos pelo Iphan – declarados tanto como Patrimônio Nacional e Mundial e integrantes da lista indicativa brasileira –, agentes públicos envolvidos com a preservação patrimonial, representantes da sociedade civil com interface de atuação na área de abrangência territorial da Região das Missões, profissionais da área de patrimônio cultural e ambiental, acadêmicos envolvidos com a temática do patrimônio cultural e ambiental e estudantes universitários.

PROGRAMAÇÃO
A programação prevê a realização de visitas aos sítios arqueológicos de São João Batista, São Lourenço Mártir e São Miguel Arcanjo, além de palestras, conferências, e estudos de casos. Entre os temas abordados estarão os modelos para a proteção e gestão da Paisagem Cultural na Europa e no âmbito anglo-saxão; a experiência espanhola; gestão integrada dos sítios e paisagens culturais em Portugal (Parque Arqueológico do Vale do Côa), no Reino Unido (English Heritage Trust) e nos Estados Unidos da América (National Park Service); além da Colômbia com a Paisagem Cultural Cafetero; México com a Paisagem agavera e as antigas instalações industriais de tequila; Peru com a Cidade Sagrada de Caral-Supe; e a gestão da Paisagem Cultural no Brasil e dos Parques Históricos Nacionais.

PALESTRANTES
Entre os palestrantes do seminário estarão representantes do Iphan, IAPH, Getty Conservation Institute, Fundação Côa Parque, English Heritage Trust, National Park Service, Ministério da Cultura da Colômbia, Instituto Nacional de Antropologia e História do México, Parque Natural e Entorno de Doñana, da Espanha, Ministério da Cultura do Perú, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e da Coordenação Nacional do Projeto de Valorização da Paisagem Cultural e do Parque Histórico Nacional das Missões (Projeto Iphan/ABC/UNESCO).

PARQUE HISTÓRICO NACIONAL DAS MISSÕES
O Iphan atua na preservação do Patrimônio Cultural das Missões Jesuíticas Guarani, no Rio Grande do Sul, desde 1937 – ano de sua criação – com o tombamento federal das estruturas remanescentes da redução jesuítica-guarani de São Miguel Arcanjo, declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1983.
Ao longo dos anos, outros remanescentes integrantes dos povoados reducionais da república jesuítica do Paraguai, situados em território brasileiro – chamados Sete Povos das Missões – foram reconhecidos como Patrimônio Cultural Nacional. Assim, quatro sítios arqueológicos encontram-se tombados e são administrados diretamente pelo Iphan: São Miguel Arcanjo, São João Batista, São Lourenço Mártir e São Nicolau.

PATRIMÔNIO CULTURAL E AMBIENTAL
Com o intuito de promover a gestão territorial de forma integrada entre patrimônio cultural e ambiental, reposicionando os bens patrimoniais como ativos socioculturais e econômicos, envolvendo os distintos atores locais e compartilhando responsabilidades, o Iphan propôs em 2009 a criação do Parque Histórico Nacional das Missões (PHNM). A figura de gestão de “Parque Histórico Nacional” necessita ser aprofundada, assim como a abordagem territorial incluindo o conceito de Paisagem Cultural. Neste sentido, o projeto de consolidação do PHNM se propõe como piloto ao Iphan, de modo a permitir orientar uma política nacional nessa matéria.

SÍTIOS MISSIONEIROS
O Parque Histórico Nacional das Missões foi criado em 2009, por meio do Decreto nº 6.844, reunindo os sítios arqueológicos missioneiros de São Miguel Arcanjo (localizado no município de São Miguel das Missões), de São Lourenço Mártir (em São Luiz Gonzaga), de São Nicolau (em São Nicolau), e o de São João Batista (em Entre-Ijuís).

O Sítio Histórico de São Miguel Arcanjo ou São Miguel - Tombado como Patrimônio Nacional, em 1938, e declarado Patrimônio Cultural Mundial, pela Unesco, em 1983, era um dos povoados que pertenciam as reduções jesuíticas-guarani, que formava com seis outras, os chamados Sete Povos das Missões que, hoje, localizam-se em território brasileiro.

As reduções eram povoados implantados em território originalmente ocupado por indígenas durante o processo de evangelização promovido pela Companhia de Jesus nas colônias da coroa espanhola na América, durante os séculos XVII e XVIII, representam importante testemunho da ocupação sistematizada do território, e das relações culturais que se estabeleceram entre os povos nativos, na maioria do grupo étnico Guarani, e missionários jesuítas europeus. A “Província Jesuítica do Paraguai”, que compreendia um sistema de relações espaciais, econômicas, sociais e culturais singulares, conformada à época por 30 povoados, chamados de reduções, o qual incluía ainda estâncias, ervais, redes de caminhos e vias fluviais estendidas pela bacia do Rio Uruguai e de seus afluentes, abrangia uma extensa área da América Meridional, correspondente, nos dias atuais, a regiões do Paraguai, Argentina, Uruguai e Brasil.
Informações: http://portal.iphan.gov.br ou projeto.missoes@iphan.gov.br/ 55-3381 1221
site: AMM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ORGANIZAÇÃO DA FEIRA INTERNACIONAL MISSIONEIRA.

Organização da Feira Internacional Missioneira, marcou participação da AMM na reunião dos 30 Povos Jesuítico-Guarani 15 de Agosto de 2017...