quarta-feira, 24 de maio de 2017

AMM COMPLETA 50 ANOS DIA 28 DE MAIO.

MEIO SÉCULO DE CRIAÇÃO DA AMM SERÁ MARCADO POR HOMENAGENS ESPECIAIS
23 de Maio de 2017
MEIO SÉCULO DE CRIAÇÃO DA AMM SERÁ MARCADO POR HOMENAGENS ESPECIAIS
José Otto Theobald, 1º presidente da AMM

Jantar festivo com ex-presidentes, Medalha da 54ª Legislatura da Assembleia Legislativa e livro sobre os 50 anos da entidade, integram as comemorações

28 de maio de 1967. Esta é uma data muito especial no calendário de todos os missioneiros e dos 26 municípios que congregam a Associação dos Municípios das Missões (AMM). Nesse dia, há 50 anos, nas dependências da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC), em Cerro Largo, em uma cerimônia histórica, mas simples e repleta de emoção, era oficialmente criada a AMM com a missão de formular nas suas grandes linhas, as diretrizes do movimento municipalista regional.

Exatamente assim está escrito na ata de número 1, feita a punho pelo então vereador de Cerro Largo, Laureano Alberto Schoffenn, que continua atuando, aos 92 anos de idade, como secretário Executivo da Associação. A iniciativa foi da Câmara Municipal, na época presidida pelo vereador Renê Schwengber, que conduziu os trabalhos na primeira assembleia geral da Associação. “Quando uma reivindicação é feita em grupo tem mais força perante o Estado e a União, do que os municípios lutarem individualmente por seus pleitos. Esta foi a principal motivação para a criação da AMM”, contou Laureano Alberto Shoffen, um dos idealizadores da Associação dos Municípios das Missões.

Na próxima sexta-feira (26) terão início as atividades alusivas ao cinquentenário da entidade, que está cada vez mais forte e atuante. Rememorando meio século de história, as comemorações começam com jantar festivo a partir das 20 horas, dentro da programação da 14ª Polfest, em Guarani das Missões, com a presença de ex-dirigentes da AMM. Antes, às 14 horas, no Salão Paroquial do município, acontece a assembleia mensal da Associação.

Homenagem do Parlamento Gaúcho
Na quarta-feira (31), às 14 horas, em Porto Alegre, a Associação estará sendo homenageada com a Medalha da 54ª Legislatura da Assembleia Legislativa. A proposição é do presidente da Comissão de Assuntos Municipais da AL, deputado Eduardo Loureiro, e quem receberá a honraria em nome da Associação será o atual presidente, Brasil Antonio Sartori, de Entre-Ijuís, que estará acompanhado do colegiado de prefeitos missioneiros.

Meio século de orgulho
Neste meio século de existência (1967 a 2017) 40 prefeitos se revezaram na direção da Associação. E todos podem se orgulhar do trabalho realizado, pois suas atuações foram determinantes para que a AMM seja hoje reconhecida com uma das mais fortes e mobilizadas Associações de Municípios do Estado do Rio Grande do Sul. O primeiro presidente foi o então prefeito de Cerro Largo, José Otto Theobald (in memorian).

O atual presidente da Associação, Brasil Antonio Sartori, se diz gratificado com a oportunidade de coordenar as festividades cinquentenárias. “Minha cidade, Entre-Ijuis, sempre aderiu aos movimentos e batalhas levantadas pela AMM em defesa da região e do guerreiro povo missioneiro. Por isto, agora, com muita honra me integro, junto com todos os meus colegas prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, das homenagens pelo recohecido e valoroso trabalho desta entidade, que tanto nos orgulha”, evidenciou Sartori.

50 Anos de História
Entre outras programações que estarão acontecendo no decorrer deste ano, está o encerramento com chave de ouro: o lançamento do livro AMM – 50 Anos de História, em um grande evento na sede da Associação, no mês de dezembro, em Cerro Largo. A obra vai relatar as negociações políticas dos dirigentes e  prefeitos que, unidos em torno da AMM, definiram estratégias fundamentais para alavancar o desenvolvimento da região, além de histórias pitorescas dos 26 municípios. A proposta do livro é reunir fatos importantes e fazer com os ideais sonhados por todos que já passaram pela Associação, permaneça no coração e na força dos missioneiros.

Objetivos da AMM
Na ata de criação da Associação dos Municípios das Missões, os fundadores fizeram questão de deixar registrado os sete grandes objetivos da entidade que, mesmo após 50 anos de atuação, continuam bastante atuais. São eles:
1-Formular nas suas grandes linhas as diretrizes do movimento municipalista regional, defendendo iniciativas que visem a descentralização administrativa, econômica e social, de modo a dotar os municípios de recursos financeiros;
2-Promover estudos que deverão ser encaminhados aos poderes competentes das altas esferas da administração estadual e federal;
3-Pleitear e adotar medidas úteis aos interesses das prefeituras e câmaras municipais, constituindo-se defensora e cooperadora ativa e vigilante de quanto possa concorrer para o desenvolvimento e progresso da região;
4-Acompanhar a atuação dos deputados estaduais e federais, eleitos pela região, e subsidiá-los nas suas tarefas que dizem respeito à região da Associação;
5-Representar os municípios membros da AMM, nas reivindicações dos problemas sócio-econômicos regionais;
6-Orientar as bancadas pluripartidárias nas câmaras de vereadores, no sentido de conseguir pronta solução para os problemas regionais;
7-Dar assistência jurídica e administrativa aos municípios integrantes da AMM.

Gargalos da AMM
Desde os primórdios da Associação dos Municípios das Missões, muitas demandas só saíram do papel graças à atuação coesa dos prefeitos, e à força política da AMM junto aos governos federal e estadual. Entre as constantes lutas está a melhorias na infraestrutura logística. Dos cinco municípios sem acesso asfáltico, estão em andamento os serviços na entrada de Eugênio de Castro, Rolador e Ubiretama. Garruchos e Pirapó, assim como a recuperação de rodovias da região, seguem entre os maiores gargalos da Associação.

A reativação do Aeroporto regional de Santo Ângelo, cujos vôos serão retomados em julho deste ano, muito se deve a articulação e forte pressão dos dirigentes da AMM e do colegiado de prefeitos. Assim como segue firme a atuação pela viabilização da ponte internacional Porto Xavier/San Javier, que conforme declarado mais de uma vez pelo Ministério dos Transportes e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), técnica e economicamente, estas duas localidades são as mais viáveis para receber o empreendimento.

Outras relevantes conquistas foram obtidas, em diferentes áreas, como o fortalecimento do turismo missioneiro, com a Ruta Jesuítica Internacional, envolvendo o turismo integrado entre Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia. “Continuaremos unidos e trabalhando em defesa das pautas que promovam o crescimento dos 26 municípios e da região das Missões, sempre contando com o apoio e a confiança da comunidade missioneira”, afirmou Brasil Antonio Sartori, que preside a Associação dos Municípios das Missões até março de 2018.

Site AMM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ORGANIZAÇÃO DA FEIRA INTERNACIONAL MISSIONEIRA.

Organização da Feira Internacional Missioneira, marcou participação da AMM na reunião dos 30 Povos Jesuítico-Guarani 15 de Agosto de 2017...